Jornal Razão

Tijucas, quarta-feira 22 de outubro 2014

publicidade

Elmis Mannrich

Nenhum comentário

23/08/2012 0:00

  Não sei o que as pessoas ganham com isso, mas fico impressionado com a vontade que determinados indivíduos têm em procurar arquitetar intrigas. Falo neste momento do meu amigo de mais de 32 anos Elmis Mannrich, com quem convivo desde o primeiro dia em que o papai lá de cima me mandou morar em Tijucas. Talvez o próprio Elmis não lembre, mas na data em que cheguei aqui para morar, exatamente no dia 15 de Dezembro de 1979, nos conhecemos no ?Campo do Tourinho?, também conhecido como ?Pau do Maroco?, onde está hoje a Rua José Steil (rua ao lado do SAMAE). Ali rolavam as melhores peladas do centro de Tijucas.
  No ano seguinte, em 1980, estudei com Elmis na CNEC, época em que ainda havia a primeira série do científico no período da tarde. Na nossa sala também estudavam Roberval dos Anjos, Aldinho do Marasil, Márcio Rosa, Liliane Lemos, Flávinho do Zé João, Angela Peixoto, Almir Camargo, Sonia Giacomossi, Calinho do Vilmar, Clóvis Valcanaia, Darli dos Anjos, Rosicler Furtado, Dominguim Steil, Edson do Timbé, Roberto Carlos que não tinha nada de Roberto Carlos, Marisa Calado, Margarete e Zéca do Pernambuco, Sandra Marques, Luciano irmão do Piriquito, Carlinhos Coelho, Sandra do Tolentino, Cristiane Simas, Marlise e Tânia de Morretes, Rodrigo do Tunico do  Tonjinho, Edson da Praça e Carlinhos da ADEC e talvez algum outro que não recordo.
  O tempo passou, os caminhos se dividiram e muitos de nós seguiram rumos diferentes. Alguns tiveram a oportunidade de se reencontrar. Em 1997, depois de quatro anos como assessor de imprensa da Câmara de Vereadores de Tijucas, tive como novo chefe o advogado Elmis Mannrich. Fizemos boas coisas juntos, mas também divergimos em várias oportunidades. Em 2001 abandonei o Poder Legislativo por me sentir judiado por um grupo de artistas do PT. Pensei que receberia conforto da turma do outro lado, mas hoje sei que todos queriam era me ver desaparecer. Ninguém queria um funcionário com opinião própria. Lá só eram possíveis as duas tradicionais respostas: ?sim? e ?sim senhor?.
   Me considero amigo da família Mannrich, sou cliente de caderninho da Lanchonete Nilman?s há 30 anos, e jamais faria algo para ofender pessoas como o seu Nilton, Neves, Paulo, Nile, Néia, Débora, Israel, Barbara, Vitor, Duda ou qualquer outro membro do clã. Entretanto, isso não quer dizer que eu seja obrigado a concordar com tudo que o nosso prefeito faz ou deixa de fazer. Sou amigo, não puxa saco.
   Concordo que o Elmis foi o melhor prefeito da história de Tijucas, no entanto quem ama essa cidade como eu, jamais se ajoelhará para dizer amém e que está tudo bem. Ele foi um bom prefeito, mas não 100%. Aliás, se Jesus Cristo tivesse sido 100% não teria morrido na cruz.
   Penso que o verdadeiro amigo é aquele que fala a verdade, sem jamais querer tapar o sol com a peneira. Os outros são os outros...
 

Comentários

Deixe seu comentário

(Não será publicado)


publicidade