nas-redes.png

EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 06 de dezembro

Capa
Capa

EDIÇÃO IMPRESSA


Religião

cultura e religiosidade

Por André Pinheiro

A cultura de determinada sociedade é formada por diversos elementos. seus hábitos, comportamentos, práticas e tradições. também estão incluídas aí as criações artísticas e as ideologias e interpretações da própria realidade. 

Quando paramos para analisar as sociedades, percebemos que um dos principais produtos de sua cultura é a religião, em suas mais diversas manifestações. sejam as grandes e tradicionais religiões monoteístas - como o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo -, os novos fenômenos religiosos, como o neopentecostalismo ou ainda as novas modalidades de culto que permitem a experiência do sentimento de religiosidade sem a necessidade de vinculação a instituições ou templos.

Religio, religare e relegere

Quando falamos em religião, pronunciamos uma palavra de origem latina, religio, provavelmente derivada de dois termos diferentes. o primeiro, e amplamente conhecido, seria o religare. o segundo, muito menos divulgado, atende pelo nome de relegere.

pois bem! a palavra latina religio não se refere à religião, no sentido que entendemos hoje. ao contrário do que imaginamos, em sua origem religio está relacionado a escrúpulo, mais especificamente "escrúpulo em relação ao culto".

(Re)conexão e nova escolha

O termo religare, por sua vez, é o mais conhecido quando se trata de explicar o significado de religião. corriqueiramente, é traduzido e compreendido como o laço que liga - ou religa, reconecta - o homem a Deus.

Por fim, o vocábulo relegere traz o sentido de recolher-se, fazer uma nova escolha. seria algo como recompor, reelaborar, produzir uma nova leitura.

Em linhas gerais, religare propõe uma relação passiva do homem com Deus, determinada por um laço de piedade por parte do Criador. por outro lado, relegere sugere a prática, a conduta que determina uma relação com a(s) divindade(s).

Complexidade

Não bastasse a complexidade no entendimento da origem das palavras, a religião é também complexa em relação às suas práticas. além das tradicionais e hegemônicas instituições religiosas - como os diversos ramos do Cristianismo -, temos as religiões mediúnicas, como a Umbanda e o Espiritismo, e as orientais, como o Hinduísmo e o Budismo. sem falar em vários movimentos, dissidências e outras novidades que surgem a cada dia.

Tudo muito dinâmico

E a coisa não para por aí. para tornar tudo ainda mais dinâmico, existem ainda as pessoas que expressam a sua religiosidade sem criar vínculos com quaisquer instituições religiosas. são os evangélicos que não vão ao culto; os católicos que não frequentam missas; os umbandistas que não participam de terreiros... e por aí vai. para essas pessoas, muito mais importante do que a presença no templo é a fé no coração - a ideia é justamente que você não precisa sair de casa para experimentar a sua crença e cultuar as divindades nas quais acredita.

Self-service

Existem também as misturas - sincretismos, hibridismos, bricolagens - que vários indivíduos e grupos realizam, unindo elementos de religiões distintas. é meditação budista junto com o defumador da Umbanda, a leitura de salmo e o passe do Espiritismo, por exemplo. sem falar naquele vídeo postado no canal do pastor. num contexto pós-moderno, é como se as diferentes religiões formassem uma espécie de buffet. e, num sistema de self-service, cada pessoa se servisse dos elementos que considera mais interessantes - por que não dizer apetitosos? - em cada religião.

Popular

Finalmente, temos as manifestações populares relativas a cada religião. são as práticas cotidianas que não estão previstas nos textos sagrados ou nas orientações dos líderes e instituições. é a benzedura feita em casa, o objeto considero sagrado, a crença no milagre que pode ocorrer no dia a dia, com o pensamento mágico contrariando a lógica que - ao menos, aparentemente - controla a vida das pessoas.

Andar com fé

Diferentes nas doutrinas e nas práticas, as religiões parecem ter vários pontos em comum. seja no sentido atribuído ao religare ou ao relegere, todas elas buscam aproximar o homem e as divindades. o sagrado e o profano. nesta busca por salvação, evolução ou iluminação, o essencial é andar com fé. e, mais importante ainda, com tolerância.






As mais lidas do dia

jr.png

| | insta |

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809

 

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

 

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.