nas-redes.png

EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 17 de maio

Capa
Capa

EDIÇÃO IMPRESSA


PEGADA ANIMAL

Pegada Animal fala sobre Leucemia felina hoje as 16h

22 Maio 2018 11:15:00

SAÚDE. São muitas as doenças que acometem os nossos pets, por isso é preciso estar atento

O programa Pegada Animal de hoje falará sobre uma doença infecciosa causada por um vírus, com capacidade de desenvolver tumor (leucemia ou linfomas) ou doenças degenerativas em gatos infectados. A leucemia felina é mais conhecida pela sigla FELV (Vírus da leucemia felina). Muitos já ouviram falar, mas quase ninguém protege seu gato contra essa doença.

Não perca hoje a partir das 16h na TV Razão.

Existem dois detalhes que tornam essa doença extremamente preocupante:

1 - Não tem cura, somente tratamento dos sintomas e de suporte. 85% dos gatos, em infecção progressiva, morrem em até 3 anos após o diagnóstico da FELV 

2 - Alguns gatos não apresentam sintomas da doença. Essa seria a forma latente da doença, onde o sistema imune foi eficaz em controlar a replicação viral e impedir a infecção de novas células. No entanto em casos de falha dessa resposta imune, o animal pode vir a apresentar os sintomas clínicos da doença.

 Transmissão 

O gato contaminado excreta o vírus por todas as superfícies epiteliais (pele), nariz e boca, transmitindo facilmente o vírus para outros gatos com quem tiver contato. A infecção está diretamente ligada à dose do vírus que o animal se expõe. Um animal que está constantemente em contato com o vírus tem maior chance de infecção permanente. Gatinhos de até 5 meses, quando infectados, também têm grande risco de infecção permanente. O vírus não é resistente a ponto de contaminar o ambiente (não é transmitido através de alimentos, cobertores, etc). 

Sintomas 

Os sintomas podem variar bastante, dependendo do tipo de células infectadas. Alguns gatos com uma boa resposta imune podem permanecer assintomáticos durante anos. 

Os gatos que apresentarem a doença associada ao vírus podem desenvolver doenças degenerativas, como anemia, imunossupressão e quadros crônicos de inflamação. Além disso, o vírus é capaz de fazer com que se desenvolvam tumores como, por exemplo, o linfoma.

Diagnóstico 

Em alguns gatis e ONGs, o teste para FeLV e FIV (AIDS felina) é realizado como triagem antes do animal ser vendido ou doado, para que seu responsável tenha consciência de que o animal pode desencadear alguma das doenças acima citadas, além de evitar seu contato com outros gatos. Caso contrário, o diagnóstico é realizado quando alguma das doenças associadas aparecem. 

Tratamento 

O tratamento é realizado baseado na doença que o FeLV desencadeou. No caso dos tumores (linfoma e leucemia), são realizadas sessões de quimioterapias. Já as anemias podem chegar à necessidade de transfusão sanguínea. Medicamentos imunoestimuladores e antiretrovirais são associadas ao tratamento. 

Prevenção  

O FeLV pode ser prevenido mantendo os animais dentro de casa sempre que possível e evitando exposição a gatos novos sem a confirmação do teste. Mas o mais importante é vacinar seu gato. Filhotes a partir de 8 semanas devem receber duas doses, com intervalo de 30 dias. Caso seu gato tenha hábitos de passear na rua, a vacinação é de extrema importância. 






As mais lidas do dia

jr.png

| | insta |

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809

 

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

 

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.