nas-redes.png

EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 17 de maio

Capa
Capa

EDIÇÃO IMPRESSA


TIJUCAS E ITAPEMA

As incômodas dermatopatias

19 Outubro 2018 09:33:00

ALERGIAS. Todo cuidado é pouco para manter seu PET longe dessas doenças

A alergia ou dermatite alérgica é uma "doença de pele" muito comum em cães sendo caracterizada por uma reação do sistema imunológico do animal contra um alérgeno (substância que desencadeia a alergia).

Os alérgenos mais comuns são alimentares, parasitários (pulga, carrapato e mosquito) e fatores ambientais como acaro, mofo, polém, etc.

A pele do animal alérgico apresenta-se com prurido (coceira), regiões hiperêmicas (avermelhadas), com pústulas (bolinhas vermelhas que parecem espinhas) e falhas no pelo.

Não existe cura contra a dermatite alérgica, apenas controle/tratamento nos momentos de crise. Como em qualquer situação similar, o mais indicado é a prevenção, utilizando uma alimentação super premium e medicamentos preventivos contra os principais parasitas externos.

Demodicose, também conhecida como sarna negra, é uma patologia muito comum na rotina da clínica, causada pelo acaro Demodex canis, que se localizam no folículo piloso do animal.

  • As duas demodicose

Existe a demodicose localizada e a demodicose generalizada. Para se diagnosticar a demodicose canina é necessário a raspagem da pele do animal com suspeita da doença, visando a análise no microscópio. Ácaros adultos, larvas, ninfas e ovos denunciam a patologia.

O tratamento varia de acordo com o protocolo do veterinário com medicamentos que a controlam. O tratamento pode levar meses.

  • DAPP

A DAPP é uma das doenças cutâneas que mais comumente surge na clínica de pequenos animais, afetando igualmente cães e gatos. Esta patologia ocorre em animais que desenvolvem hipersensibilidade (alergia) aos componentes da saliva da pulga. Enquanto alguns animais toleram um número moderado de picadas de pulgas por dia, os animais com DAPP não toleram nenhuma.

A DAPP surge sobretudo na Primavera e Verão, apesar de poder ocorrer também nas outras épocas do ano.

  • Sintomas

Os sinais clínicos de DAPP surgem de forma diferente no cão e no gato. Os cães apresentam prurido intenso, que se manifesta sob a forma de morder, coçar e esfregar-se no chão. Apresentam perda de pelo, pele ruborizada e por vezes crostas na região lombar e na base da cauda. A dermatite pode estender-se às coxas e região do abdómen.

Os gatos podem lamber-se em exagero ou arrancar os próprios pelos, apresentando falta de pelo nos flancos e no dorso. Podem ainda desenvolver pequenas crostas vermelhas no dorso.

Nos casos mais crónicos, em consequência dos auto traumatismos infringidos, surge inflamação crónica, falha de pelo, descamação e a pele pode mesmo tomar a cor negra e não voltar a surgir pelo. Nas piores situações surgem focos de infeção bacteriana (piodermatite superficial e profunda) que exigem tratamento simultâneo com antibióticos.

  • Diagnóstico

O diagnóstico baseia-se na observação da distribuição das lesões e observação de pulgas, ou fezes de pulgas. Esta reação alérgica pode estar associada a outros processos alérgicos paralelos. Cães que apresentam história de otites recorrentes de origem alérgica poderão ser alérgicos a outras coisas simultaneamente. Para comprovar o diagnóstico existem provas que se podem fazer, tais como teste de alergia intradérmicos ou ao sangue.

  • Tratamento

O objetivo principal é reduzir ao máximo o número de picadas de pulgas. Existem atualmente excelentes produtos disponíveis no mercado efetivos no seu controlo. A maioria é destinada a uma aplicação mensal.

As pulgas presentes na pelagem do animal representam apenas 5% da infestação que está presente no ambiente que o rodeia. Os outros 95% consistem em ovos, larvas e pupas "invisíveis". Este é o principal motivo pelo qual as infestações de pulgas são tão difíceis de controlar. Para um adequado controle de pulgas é importante ter em mente esses fatores "invisíveis":

  1. Eliminar as pulgas presentes no animal (5%)
  2. Eliminar os elementos "invisíveis": ovos, larvas e pupas (95%)

  • Prevenir reinfestações

O completo controlo das pulgas exige tratar o animal afetado e todos os animais que o rodeiam. Assim, torna-se importante a adoção de algumas medidas: 

  1. Aspirar todos os tapetes, carpetes, sofás, cortinas, tendo particular atenção aos locais mais frequentados pelo animal.
  2. Lavar todas as mantas, camas, almofadas, onde o seu animal dorme com água bem quente e um pouco de detergente ou lixívia. 
  3. Ter especial atenção aos locais onde há frechas ou ranhuras, rodapés, atrás dos sofás, frigorífico, máquina de lavar e, em geral, nos locais mais difíceis de passar o aspirador.




As mais lidas do dia

jr.png

| | insta |

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809

 

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

 

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.