nas-redes.png

EDIÇÃO IMPRESSA

Sexta, 7 de dezembro

Capa
Capa

EDIÇÃO IMPRESSA


ESPECIAL

Uma guerreira na luta contra o câncer de mama

08 Outubro 2018 07:46:00

ROSA. Outubro leva a cor símbolo do movimento contra o câncer

O Outubro Rosa teve início nos Estados Unidos, na cidade de Nova Iorque, em 1990. A "Fundação Susan G. Komen For the Cure" promoveu uma corrida para arrecadar dinheiro e também informar e alertar sobre o câncer de mama. Todas as pessoas que participaram da corrida usaram um laço rosa na altura do peito. Hoje, ele se tornou o símbolo do movimento.

A doença atinge cada vez mais mulheres abaixo de 30 anos, porém a faixa etária de risco, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, é entre 50 e 69 anos. O diagnóstico precisa ser rápido, caso contrário a mulher fica mais suscetível às células malignas.

Em Tijucas o movimento teve início há alguns anos, por intermédio da Rede Feminina de Combate ao Câncer, posteriormente substituída pelas Rosas do Amor. A entidade tem sua sede na Rua Preta Paula, na Joaia, junto ao Posto de Saúde daquela comunidade. Além do aconselhamento e orientações, as mulheres que estão em tratamento também encontram equipamentos e acessórios utilizados por quem está em tratamento de câncer.

No Vale do Rio Tijucas temos dezenas de exemplos de mulheres que lutam diariamente contra o Câncer de Mama. Nesta edição do Jornal Razão contaremos um pouco da história de uma cuidadora de idosos que descobriu o câncer e precisou cuidar urgentemente de si mesma. A guerreira é moradora de Tijucas e concedeu entrevista, onde deixa um recado para as mulheres da região:

RAZÃO: Quem é você?

JOICE: Chamo-me Joice Glória Atanásio, tenho 32 anos e sou cuidadora de idosos. Moro no bairro Universitário, em Tijucas.

RAZÃO: Como recebeu a notícia de que estava com câncer? Qual foi o primeiro pensamento?

JOICE: No dia 24 de outubro de 2017 percebi um caroço na mama direita, me preocupou muito e procurei fazer uma mamografia. Depois de três dias fui diagnosticada com câncer de mama avançado. Foi um turbilhão de pensamentos, mas o principal sentimento foi de angústia, dúvidas e o medo que me invadia.

RAZÃO: Você fazia exames preventivos?

Sempre fiz exames preventivos, porém de mama nunca tinha feito devido à idade, nem mesmo o toque.

RAZÃO: Como sua família encarou a notícia?

Para a família foi uma notícia impactante! Foi tão difícil dar a notícia a eles como foi receber o diagnóstico. Todos sem chão e sem acreditar. Mas logo se uniram e passaram a ganhar forças com a minha própria força.

RAZÃO: Qual foi o momento mais difícil do tratamento?

O momento mais difícil foi o processo do tratamento de quimioterapia conhecido como "quimio vermelha". Fiz quatro sessões da quimio vermelha no ciclo de 21 em 21 em dias. Cada organismo reage de uma forma, é claro, mas comigo foi bem difícil. Tive primeiramente uma leve depressão, mal estar, náuseas e fraqueza. Fiquei bem debilitada, vivia praticamente o tempo todo deitada. Em seguida veio a queda de cabelo, que mexeu muito com minha autoestima. Mas tudo passou, minha força de viver foi maior que todos esses sintomas. É uma fase difícil, mas to aqui ainda mais forte!

RAZÃO: De onde tirou forças para seguir a luta?

Minha força vem de Deus, que me deu sabedoria e ainda me fortalece dia após dia pra continuar lutando. Lutando pelo bem mais precioso, minha vida, minha filha!

RAZÃO: Como é o dia a dia?

O dia a dia é muito corrido. Ainda estou em tratamento de radioterapia, porém sempre consigo um tempo para fazer algo que me faça bem, com as pessoas que amo: família e amigos.

RAZÃO: Como foi a cirurgia?

Aconteceu no dia 19 de dezembro a cirurgia de retirada da mama, pois o tumor principal tinha ramificação de 25 linfonodos, sendo três deles malignos. Eu estava com muito medo, pensei que minha autoestima seria mais abalada, porém a retirada do seio foi mais tranquila do que eu imaginava. Após a cicatrização, em fevereiro dei entrada no Cepon e comecei uma bateria de exames. Depois das químios vermelha, como contei acima, continuei com o ciclo de 12 químios branca, semanalmente, divididos em oito meses de tratamento.

RAZÃO: Qual a importância do Outubro Rosa?

O Outubro Rosa é uma corrente do bem, pois alerta e conscientiza sobre a importância da prevenção do câncer de mama, que não escolhe cor nem idade. Se toque, se conheça!

RAZÃO: Que mensagem você deixa a outras mulheres que enfrentam o câncer de mama?

Não é fácil pra ninguém ser diagnosticada com câncer de mama, como não foi pra mim. Pensamentos positivos. Usem a força que precisam em Deus, não desistam e sejam guerreiras. O mais importante é ter fé!


As mais lidas do dia

jr.png

| | insta |

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.


Whatsapp
(48) 8453-0809

 

Quem somos | Mapa do site | Webmail | Painel de controle

 

Copyright © 2017 Jornal Razão - Tijucas SC
Todos os direitos reservados.